domingo, 29 de setembro de 2019

22º Encontro Gestores de Risco Clínico do CHS (#SD359)

O Centro Hospitalar de Setúbal (CHS) realizou o seu 22º Encontro Formativo para Gestores de Risco Clínico da Instituição.

Estiveram também presentes os Gestores de Risco Geral e vários responsáveis dos diferentes Serviços (clínicos e não clínicos) do CHS

Foram abordados os seguintes temas:

  • Avaliação do Risco - Nova metodologia de registo
  • Segurança do Medicamento (Com a colaboração dos Serviços Farmacêuticos)

Avaliação do Risco - Nova metodologia de registo

Foi analisada a nova versão do Procedimento de Identificação e Avaliação de Riscos.
Nesta revisão do procedimento, o mesmo foi adaptado para respeitar a Norma Portuguesa NP ISO 31000.

A grande alteração no entanto diz respeito à metodologia de registo, passando o CHS a contar com um "Mapa Global do Risco" em formato de Folha Excel, disponível na Intranet a todos os utilizadores, e que permite acompanhar todas as fases do processo de avaliação do risco (Clínico e geral), bem como a sua monitorização.



Segurança do Medicamento


A Segurança do Medicamento constitui uma preocupação permanente do CHS. Ela está incluída no objectivo estratégico nº 4 do Plano de Segurança dos Doentes da Instituição (em articulação com o Plano Nacional para a Segurança dos Doentes 15-20).

A apresentação incidiu particularmente sobre as temáticas dos medicamentos LASA, Medicamentos de Alto Risco  e correcta identificação dos medicamentos.
O CHS prepara-se para iniciar um processo de optimização de todo o circuito do medicamento, no que à sua identificação diz respeito.


Este 22º Encontro foi da responsabilidade do Grupo de Indicadores, Auditoria e Risco Clínicos, com a colaboração da Comissão de Gestão do Risco e dos Serviços Farmacêuticos do CHS.


Este tipo de actividades é fundamental para garantir uma informação/formação permanente aos Gestores de Risco Clínico dos Serviços, disponibilizando apoio e suporte na concretização das diferentes acções, em prol da Segurança do Doente.

Fernando Barroso

UM DIA SERÁS TU O DOENTE!


#segurancadodoente

sábado, 21 de setembro de 2019

OMS Alerta para uma Acção Urgente para Reduzir os Danos aos Doentes nos Cuidados de Saúde (#SD358)


Em todo o mundo, milhões de doentes sofrem danos todos os anos devido a cuidados de saúde inseguros, resultando em 2,6 milhões de mortes anualmente em países de baixo e médio rendimento. A maioria dessas mortes é evitável.

O impacto pessoal, social e económico do dano ao doente leva a perdas de triliões de dólares em todo o mundo. A Organização Mundial da Saúde pretende concentrar a atenção global na questão da segurança do doente e no lançamento de uma campanha de solidariedade com os doentes no primeiro Dia Mundial da Segurança do Doente, em 17 de Setembro de 2019.

“Ninguém deve ser prejudicado ao receber cuidados de saúde. E, no entanto, globalmente, pelo menos 5 doentes morrem a cada minuto por causa de cuidados inseguros”, afirmou o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor Geral da OMS. "Precisamos de uma cultura de segurança do doente que promova a parceria com os doentes, incentive o relato e a aprendizagem com os erros e crie um ambiente livre de culpa, onde os profissionais de saúde são capacitados e treinados para reduzir os erros".

Quatro em cada dez doentes sofrem um dano durante o atendimento nos cuidados de saúde primários/Cuidados ambulatórios. Os erros mais prejudiciais estão relacionados com o diagnóstico, prescrição e uso de medicamentos. Só os erros de medicação custam cerca de 42 biliões de dólares americanos anualmente. Procedimentos de cuidados cirúrgicos inseguros causam complicações em até 25% dos doentes, resultando em 1 milhão de mortes durante ou imediatamente após a cirurgia anualmente.

Os danos ao doente nos cuidados de saúde são inaceitáveis. A OMS pede acções urgentes por parte dos países e parceiros em todo o mundo para reduzir os danos dos doentes nos cuidados de saúde. A segurança do doente e a qualidade do atendimento são essenciais para a prestação de serviços de saúde eficazes e para alcançar uma cobertura universal de saúde.

O investimento na melhoria da segurança do doente pode levar a uma economia financeira significativa. O custo da prevenção é muito menor que o custo do tratamento devido a danos. Por exemplo, apenas nos Estados Unidos, as melhorias na segurança do doente levaram a uma economia estimada em 28 biliões de dólares em hospitais do Medicare entre 2010 e 2015.

Um maior envolvimento do doente é a chave para um cuidado mais seguro. O envolvimento dos doentes pode reduzir o ónus do dano em até 15%, economizando biliões de dólares a cada ano.

No primeiro Dia Mundial da Segurança do Doente, a OMS priorizou a segurança do doente como uma prioridade global da saúde, instando os doentes, profissionais de saúde, formuladores de políticas e o sector de saúde a "Falar pela segurança do doente!" (“Speak up for patient safety!”).

17 de Setembro foi estabelecido como o Dia Mundial da Segurança do Doente pela 72ª Assembleia Mundial da Saúde em maio de 2019.

Mais informações sobre a campanha da OMS podem ser obtidas em https://www.who.int/campaigns/world-patient-safety-day/2019.
Comunicado de Imprensa da OMS de 13 de Setembro de 2019

Fernando Barroso

UM DIA SERÁS TU O DOENTE!

#segurancadodoente


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...