Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Injeções - Práticas Seguras

O Centers for Disease Control and Prevention  (CDC) criou dois vídeos para promover práticas de injeção segura através da sua campanha “One & Only"” em conjunto com a Safe InjectionPractices Coalition.

Os vídeos, intitulados "Check Your Steps! Make Every Injection Safe” e "Managing Patient Safety, One Injection at a Time", contêm informações direccionadas ao prestadores de cuidados e gestores de instituições de saúde, destinadas a reforçar o conhecimento sobre o controlo da infecção.
Pode ver a seguir os vídeos desta campanha.

Vídeo - "Check Your Steps! Make Every Injection Safe”

Vídeo - "Managing Patient Safety, One Injection at a Time"

Caso esteja interessado, pode aceder aqui a mais material da campanha One & Only

Fernando Fausto M. Barroso

domingo, 29 de junho de 2014

Quanto Custam os Eventos Adversos

Artigo Original - Impacto económico de los eventos adversos en los hospitales espanoles a partir del Conjunto Mínimo Básico de Datos.

Este é um excelente artigo que contribui para um melhor conhecimento acerca dos custos associados aos eventos adversos, e cuja leitura recomendamos (pode fazer o dowload clicando no link acima).

Todos temos consciência que prevenir custa menos dinheiro do que “remediar ou reparar”, mas existe uma enorme dificuldade em demonstrar este principio. Com este artigo podemos procurar soluções que apontem para uma resposta mais fácil a este problema, tornando evidente os benefícios dos programas de Segurança do Doente nas Instituições de Saúde.

domingo, 22 de junho de 2014

5 Ferramentas para observação do cumprimento da Higiene das Mãos

A seguir indicamos cinco ferramentas para ajudar as organizações de saúde a observar e documentar o cumprimento da higiene das mãos.

1. A OrganizaçãoMundial da Saúde oferece um formulário de observação livre, para download, que inclui uma tabela de cálculo de conformidade básica, bem como recomendações gerais para uma observação eficiente da higiene das mãos. Pode ainda encontrar todo o material em português no microsite do PPCIRA da DGS no item “Campanha de Precauções Básicas”

2. O  IndianaState Department of Health’s disponibiliza uma ferramenta de observação da higienização das mãos que inclui instruções detalhadas para a equipa de controlo de infecção e pessoal designado para atuar como observadores. Ela permite efectuar 30 observações separadas.

3. O Johns Hopkins Medicine desenvolveu duas ferramentas para ajudar as organizações a observar e documentar o cumprimento da realização da higiene das mãos. Uma inclui quatro regras para a realização de observações da higiene das mãos, e a outra ferramenta permite mais detalhes, como o tipo de quarto e tipo profissional de saúde.

4. A empresa GOJO oferece um formuláriode observação da higienização das mãos adaptável para centros de cirurgia de ambulatório.

5. A Park Nicollet Hospital, em St. Louis Park, Minnesota, oferece uma ferramentade observação que apresenta uma auditoria básica da adesão à higienização das mãos.

Basta clicar nos link’s existentes no texto para ter acesso a todas as ferramentas.
Fernando Fausto M. Barroso

domingo, 8 de junho de 2014

Violência nos Serviços de Saúde. Como Evitar?

Ninguém está completamente imune ou protegido da violência no local de trabalho. No entanto, existem soluções que podem ser implementadas para a sua segurança e para minimizar esta ameaça. Um factor chave na prevenção e diminuição destes actos de violência é a nossa própria formação. Para começar, devemos primeiro ser capazes de definir o que é a “violência no local de trabalho”.

A OSHA define a violência no local de trabalho como qualquer acto ou ameaça de violência física, assédio, intimidação ou outro comportamento ameaçador disruptivo que ocorra no local de trabalho. Pode variar entre ameaças e agressões verbais para agressões físicas e até mesmo homicídio. Ela pode afectar e envolver funcionários, doentes e visitantes.
A violência nos serviços de saúde pode ser dividida em três categorias:
  • Violência por parte de um colega de trabalho, um doente ou antigo doente, ou o familiar de um doente. Estas são as formas mais comuns de violência nos serviços de saúde. Lidar com a doença, lesões ou a morte causa uma variedade de respostas emocionais que podem conduzir à violência.
  • Violência envolvendo um parceiro. Este é o clássico episodio do parceiro rejeitado que aparece no local de trabalho para cometer um ato de violência contra o/a seu/sua anterior parceiro(a).
  • Ato aleatório de violência. Neste cenário, alguém chega ao serviço de saúde com a única intenção de roubar ou causar estragos. Isto pode incluir também indivíduos mentalmente instáveis, sem qualquer história prévia com o serviço de saúde.