Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Workshop's - Epidemiologia, clínica e diagnóstico de encefalites virais transmitidas por vectores & Febres hemorrágicas Virais

As inscrições nos Workshops (condicionadas ao número de vagas) são gratuitas.

Workshop - Epidemiologia, clínica e diagnóstico de encefalites virais transmitidas por vectores
As encefalites virais com origem em artrópodes ou roedores representam um problema importante em saúde pública. Os vírus que provocam encefalites togavírus (flavivírus e alfavírus), buniavírus, e reovírus normalmente estão bem adaptados aos seus hospedeiros e são transmitidos ao homem pela picada de artrópodes, mosquitos, carraças ou flebótomos, ou pelo contacto com roedores ou as suas excreções e são a principal causa de encefalites em todo o mundo. O workshop “Epidemiologia, clínica e diagnóstico de encefalites virais transmitidas por vectores” visa apresentar, debater e promover competências teóricas e práticas em domínios da epidemiologia, da clínica, do diagnóstico e da biossegurança de encefalites virais transmitidos por vetores. Destina-se a clínicos, investigadores e técnicos que realizem atividades relacionadas com o diagnóstico clínico e laboratorial e investigação de agentes infeciosos.
A iniciativa realiza-se no âmbito da Rede Ibérica de Laboratórios de Alerta Biológico (IB-BIOALERTNET) que tem como principal objetivo a normalização e acreditação de métodos e formação técnico- científico para uma resposta atempada a emergências e ameaças de origem biológica.
As inscrições nos Workshops (condicionadas ao número de vagas) são gratuitas.

Workshop - Epidemiologia, clínica e diagnóstico de Febres hemorrágicas Virais
As Febres Hemorrágicas Virais são infecções provocadas por filovírus (ebola, marburg), arenavírus (Lassa), buniavírus (hantavírus, Rift Valley, FH Crimeia-Congo) e flavivírus (febre amarela, dengue hemorrágico). A transmissão destes agentes ao homem faz-se por via vectorial (carraças, mosquitos) ou por contacto com morcegos e roedores ou com as suas excreções. As infeções nosocomiais são frequentes, sobretudo nas infeções por ébola, marburg e FH Crimeia Congo. Para as atividades de gestão de doentes, de diagnóstico laboratorial e de prevenção e controlo destas infeções é importante que os prestadores de cuidados de saúde e de serviços laboratoriais possuam um conhecimento profundo sobre as Febres Hemorrágicas Virais.
A iniciativa realiza-se no âmbito da Rede Ibérica de Laboratórios de Alerta Biológico (IB-BIOALERTNET) que tem por finalidades a normalização e acreditação de métodos e a formação técnico-científico para uma resposta atempada a emergências e ameaças de origem biológica.
As inscrições nos Workshops (condicionadas ao número de vagas) são gratuitas.

As inscrições devem formalizadas através dos seguintes formulários:

Epidemiologia, clínica e diagnóstico de encefalites virais transmitidas por vectores. Formulário de inscrição: 

Epidemiologia, clínica e diagnóstico de Febres Hemorrágicas Virais. Formulário de inscrição: 

Local de realização dos Workshops
Centro de Estudos de Vetores e Doenças Infeciosas
Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, I.P.
Águas de Moura, 11 de maio de 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário