Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Segurança do Doente na Transfusão Sanguínea - SD266

Quais os principais aspectos que devemos considerar para garantir a segurança do doente antes da administração de sangue? + Fluxograma para Administração de Componentes Sanguíneos (disponível no final do artigo)
Diariamente são administrados nas nossas instituições de saúde centenas unidades de sangue. Apesar de comum, a segurança transfusional é algo que deve merecer a nossa máxima atenção e deve estar presente na nossa mente ao longo de todo o Ciclo Transfusional:
  • Prescrição médica: Na prescrição inicial devem constar pelo menos três elementos identificadores do doente (nome completo, data de nascimento e nº de processo clínico), indicação da transfusão, exames laboratoriais recentes que justifiquem o pedido de transfusão e quaisquer eventos adversos anteriores a esta nova solicitação.
  • Colheita de amostras:  O profissional que faz a colheita de amostra para estudo de compatibilidade (Enfermeiro ou Técnico de Diagnóstico e Terapêutica) deve garantir que o tubo de colheita possui uma etiqueta de identificação completa do doente (nome completo, data de nascimento e nº de processo clínico). As amostras deverão ser transportadas imediatamente ao Serviço de sangue acompanhadas do pedido de transfusão.
  • Selecção Pré- transfusional: Deve ser praticada por profissional qualificado com competência para identificar e resolver, se possível, os problemas que por ventura possam surgir na selecção da bolsa de sangue  a ser transfundida.
  • Dispensa:  A(s) bolsa(s) seleccionada(s) são enviadas, de acordo com a prescrição, para o Serviço onde o doente se encontra, transportadas em contentores adequados e devidamente identificados. É importante referir que as malas de transporte de sangue não podem ser utilizadas para armazenamento do mesmo – apenas são adequadas ao transporte interno entre o serviço de sangue e o serviço onde o doente se encontra, dentro da instituição de saúde.
  • Transfusão:  O profissional de Enfermagem que administra a unidade de sangue deve verificar:
    • A existência da prescrição;
    • A correcta identificação da unidade de sangue e da sua compatibilidade com a prescrição;
    • A correcta identificação do doente confirmando os dados existentes na etiqueta da unidade de sangue com os dados de identificação da pulseira do doente;
    • Verificação dos sinais vitais pré-transfusionais e da permeabilidade do acesso venosa
    • Administração de pré-medicação (se prescrita)
    • Apenas depois destes procedimentos é que a unidade de sangue deve ser preparada (perfurada), iniciando-se posteriormente a transfusão, mantendo uma vigilância constante a possíveis intercorrências/reacções adversas. É fundamental que o profissional que iniciou a administração do sangue permaneça junto do doente nos primeiros 15 minutos para observar possíveis reacções transfusionais graves que podem ocorrer durante este período. Após o término da transfusão são registados os sinais vitais pós transfusionais.
São inúmeros os factores contribuintes que contribuem para um aumento do risco para o doente.
De seguida partilho contigo um pequeno vídeo (de apenas 10 minutos) que merece a tua atenção.



Ao longo dos últimos anos tenho acompanhado vários incidentes relacionados com a administração de sangue (administração ao doente errado; identificação incorrecta de amostra para estudos de compatibilidade, preparação indevida da unidade e consequente desperdício do sangue, etc.)

Em consequência desse acompanhamento produzimos um Fluxograma para Administração de Componentes Sanguíneos com os principais aspectos que devemos ter em atenção e que agora partilhamos.

3 comentários:

  1. Olá
    Excelente post...obrigado
    Tentei o download do fluxograma e a resposta foi « This uploaded file has been marked private by the author. Sorry! »
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu Caro Amigo,
      Falha minha (que nem sei como aconteceu).
      Neste momento já deve estar livre (como deve ser).
      Obrigado pelo apoio e pelas palavras.

      Eliminar
  2. Olá
    Agora sim tudo OK.
    Para aumentar a segurança do procedimento, creio que a verificação de transfusão ( antes de perfurar o componente sanguíneo), deveria ser efetuada por dois enfermeiros.
    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar