Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 2 de março de 2016

5 Pensamentos e Estatísticas sobre Bullying entre os Enfermeiros

5 Pensamentos e Estatísticas sobre Bullying entre os Enfermeiros
O Bullying (ou Mobbing) são atos de violência física ou psicológica intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo ou grupo de indivíduos, causando dor e angústia e sendo executadas dentro de uma relação desigual de poder. O bullying é um problema mundial, sendo que a agressão física ou moral repetitiva deixa marcas para o resto da vida na pessoa atingida (Wikipédia).

De acordo com uma publicação apresentada pela American Sentinel University da autoria da Dr.ª Renee Thompsom (DNP, RN, CMSRN), 60% dos novos enfermeiros abandonam o seu primeiro local de trabalho nos primeiros seis meses devido ao comportamento dos seus colegas de trabalho, e quase 50% dos enfermeiros acreditam que vão enfrentar uma situação de bullying em algum momento das suas carreiras.
Aqui estão 5 Pensamentos e Estatísticas sobre Bullying entre os Enfermeiros que podemos encontrar nessa publicação:
1. Quase metade – 48% - dos novos enfermeiros têm medo de se tornar alvo de bullying no local de trabalho.

2. As duas principais razões pelas quais o bullying é prevalente na enfermagem (segundo a pesquisa e observações da Dr.ª Thompson) são:
  • A Enfermagem é uma profissão dominada por mulheres. A Dr.ª Thompson escreve que "As teorias sugerem que a antiga “competição” feminina mudou de competir pelo “melhor partido” (homem) para uma competição por mais status, respeito e posição dentro da Enfermagem. Os mesmos comportamentos, anteriormente testemunhados entre duas mulheres que lutavam por um homem são aqueles que verificamos hoje no comportamento dos agressores”.
  • A Enfermagem é uma profissão oprimida. A Dr.ª Thompson observou que os enfermeiros são vistos como uma maioria silenciosa, o que pode resultar em sentimentos de frustração. Esses "sentimentos de frustração, juntamente com um trabalho cada vez mais complexo e stressante, podem criar ambientes onde os enfermeiros “descarregam” uns nos outros.
 3. Armas ostensivas comuns de bulliyng:
  • Crítica verbal ou “chamar nomes”
  • Intimidação
  • Culpar
  • Piadas ou insultos étnicos
  • Repreensão/Procurar Culpados
  • Ameaçar
  • Violência física
4. Armas dissimuladas comuns de bullying:
  • Sabotagem
  • Retenção da informação
  • Exclusão dos outros
  • Atribuição de tarefas injustas
  • Desmoralizar
  • Desvalorizar as acções do outro
5. Para enfrentar as situações de bullying a Dr.ª Thompson recomenda os seguintes passos:
  • Identificar o comportamento com o nome correcto (bullying) – “As pessoas que praticam bullying sentem uma sensação de poder durante suas “tiradas” ganhando força à medida que começam a elevar o tom de voz, gritam ou espalham rumores e começam a sabotar os seus colegas de trabalho. Identificar estes comportamentos como bullying assim que os mesmos ocorrem pode parar imediatamente as coisas e evitar uma escalada desses comportamentos”.
  • Documentar, documentar, documentar – “Se sentir que está a ser vítima de bullying inicie de imediato um registo desses acontecimentos. Mantenha consigo um pequeno caderno e anote datas, horas, testemunhas, comentários literais e quaisquer comportamentos que você acredite estarem a destruir a cultura de segurança e o ambiente de trabalho profissional". A Dr.ª Thompson sugere que "continue a reunir o máximo de informação até considerar que a mesma é suficiente para apresentar uma queixa formal."
Este é um tema sobre o qual dificilmente podemos ficar indiferentes, e todos temos responsabilidade na sua eliminação. Assumir que o problema existe é o primeiro passo num caminho muitas vezes longo. Fica aqui esta partilha para reflexão.
O trabalho da Dr.ª Renee Thompsom está resumido num e-book que pode ser acedido aqui, com toda a informação original.
Fernando Barroso
Deixe os seus comentários.
Partilhe esta informação com os seus contactos ou redes sociais.

Ajude-nos a chegar mais longe.

5 comentários:

  1. Olá
    O dedo numa ferida da Enfermagem....infeliz ferida diria eu.
    Esta história do Bullyng entre enfermeiros faz-me lembrar a fábula da cobra e do pirilampo...fábula essa que eu já conhecia ainda antes de ela se ter tornado famosa no seio da Política..
    ____________
    Obrigado pela partilha do livro.

    Cumprs
    Augusto

    ResponderEliminar
  2. Não é claro que este seja o tipo de bulling mais frequente (pelo menos no contexto nacional).
    Acrescentaria apenas que existe um Observatório Nacional da Violência Contra Profissionais de Saúde no Local de Trabalho e que estas situações (de violência entre profissionais, do mesmo grupo ou não) se enquadram dentro das que lá devem ser notificadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá
      Já agora, agradecendo e aproveitando a dica......visitem:

      https://www.dgs.pt/areas-em-destaque/violencia.aspx

      Cumprs
      Augusto

      Eliminar
    2. Último relatório disponível, 2014...

      Eliminar
  3. Não é claro que este seja o tipo de bulling mais frequente (pelo menos no contexto nacional).
    Acrescentaria apenas que existe um Observatório Nacional da Violência Contra Profissionais de Saúde no Local de Trabalho e que estas situações (de violência entre profissionais, do mesmo grupo ou não) se enquadram dentro das que lá devem ser notificadas.

    ResponderEliminar