Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 20 de julho de 2014

Os médicos cometem erros. Podemos falar sobre isso?

Todos os médicos cometem erros (aliás, todos os profissionais que trabalham no setor da saúde - Enfermeiros, Fisioterapeutas, TDT's, Assistentes Operacionais e Técnicos, Administradores, etc...).

Mas,  o médico Brian Goldman diz que a cultura de negação (e vergonha) da medicina impede os médicos de alguma vez falarem sobre esses erros, ou utilizá-los para aprender e melhorar.

Ele conta histórias de sua própria longa prática clínica e convida os médicos a começarem a falar sobre “estar errado”. (Filmado em TEDxToronto.)

sábado, 19 de julho de 2014

What Can We Learn From Stories of Self-Diagnosis?

O que podemos aprender com as histórias de Doentes que definem o seu próprio diagnóstico, quando os médicos não o conseguem fazer?


Isso é o que podemos descobrir nesta newsletter (em inglês) que contêm histórias bem interessantes e principalmente sobre a importância de uma COMUNICAÇÃO eficaz de parte-a-parte.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Botões dos Elevadores nos Hospitais Mais Contaminados do Que os WC’s

De acordo com uma pesquisa publicada recentemente no “Open Medicine” os botões dos elevadores de um Hospital estão normalmente colonizados por bactérias, e têm uma maior prevalência de colonização do que as superfícies das casas-de-banho (WC’s).

Os investigadores realizaram zaragatoas em 120 botões de elevadores – quer em botões no interior quer no exterior dos elevadores – e em 96 superfícies de WC’s em três hospitais de cuidados agudos em Toronto.
A prevalência de colonização por bactérias nos botões dos elevadores foi de 61%, em oposição à prevalência de 43% dos WC’s. No entanto, a maioria das bactérias encontradas não eram clinicamente relevantes.
De acordo com os investigadores o risco de transmissão de microorganismos através dos botões do elevador pode ser mitigado por medidas preventivas simples. Eles sugeriram a colocação estratégica de distribuidores de solução desinfectante das mãos de base alcoólica, dentro e fora dos elevadores e aumentar a educação pública sobre a necessidade de higiene das mãos para as pessoas que utilizam frequentemente os elevadores.
Fazer os botões do elevador suficientemente grandes para permitir que sejam pressionados com os cotovelos também poderia reduzir a transmissão de microorganismos.

E na sua Instituição, ou Prédio de Habitação, com que frequência são limpos os botões do elevador?

Fonte: Open Medicine
Fernando Fausto M Barroso

domingo, 6 de julho de 2014

Segundo Relatório da Comissão Europeia sobre a implementação da RECOMENDAÇÃO DO CONSELHO sobre a segurança dos pacientes, incluindo a prevenção e o controlo de infecções associadas aos cuidados de saúde

A Comissão Europeia divulgou a 19 de Junho de 2014 o Segundo Relatório ao Conselho Europeu (em inglês) relativo à implementação da RECOMENDAÇÃO DO CONSELHO de 9 de Junho de 2009 sobre a segurança dos pacientes, incluindo a prevenção e o controlo de infecções associadas aos cuidados de saúde (2009/C 151/01).

Recomendamos a leitura atenta deste documento, e salientamos aqui alguns pontos das suas conclusões:

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde (IACS)

Ao conduzir à adopção de uma definição geral e específica para IACS e fornecer uma metodologia e moldura padronizada para a vigilância nacional de IACS, a acção a nível da União Europeia (EU) contribuiu para o fortalecimento dos sistemas de vigilância das IACS na UE.
Em particular, o estudo europeu de prevalência do ECDC de IACS e uso de antimicrobianos em 2011-12 contribuiu para a melhoria da recolha de dados sobre a IACS, mesmo em Estados-Membros que ainda não haviam começado com esta actividade.

Os relatórios “pointprevalence report - ECDC” e “Commission’sfirst implementation report” indicam que os Estados-Membros devem concentrar os seus esforços em assegurar a vigilância orientada das IACS do local cirúrgico, unidades de cuidados intensivos, casas-de-repouso e outras instalações de cuidados de longa duração.
São necessárias novas medidas a implementar pelos Estados-Membros para melhorar a recolha de informação de rotina sobre IACS, desenvolvimento de directrizes de diagnóstico nacionais, formação continuada dos profissionais de saúde na aplicação de definições de IACS e o reforço da capacidade dos laboratórios e outras capacidades de diagnóstico em instituições de saúde.

Mais especificamente, o estudo de prevalência efectuado em toda a Europa - destacou a necessidade de assegurar:
● um número suficiente de profissionais especializados em controle de infecção a colocar em hospitais e outras instituições de saúde;
● capacidade de isolamento suficiente para doentes infectados com microorganismos clinicamente relevantes nos hospitais de cuidados agudos;
● vigilância padronizada do consumo de Solução alcoólica para as mãos.
(…)

Segurança do Doente

A recomendação tem levantado com sucesso a consciencialização sobre a segurança do doente a nível político e provocou mudanças, como o desenvolvimento de estratégias e programas nacionais de segurança dos doentes e o desenvolvimento de sistemas de informação e de aprendizagem em muitos Estados-Membros da UE. Foi criado um clima propício para a melhoria da segurança dos doentes na UE.